Prefeitura oferece apoio a mulheres vítimas de violência por meio da Coordenadoria da Mulher

BOLETIM DIÁRIO 29/07 – Confira os últimos dados relacionados ao coronavírus em Itajubá
julho 29, 2020
BOLETIM DIÁRIO 30/07 – Confira os últimos dados relacionados ao coronavírus em Itajubá
julho 30, 2020

Prefeitura oferece apoio a mulheres vítimas de violência por meio da Coordenadoria da Mulher

Print Friendly, PDF & Email

Coordenadoria tem papel fundamental especialmente com o aumento de casos de violência durante a pandemia

Um grave problema de saúde pública, a violência contra o gênero feminino era considerado, até pouco tempo atrás, um crime de menor potencial ofensivo. Graças a Lei Maria da Penha, os agressores passaram a ser penalizados com mais rigidez e a sociedade a encarar a violência doméstica como crime. O poder público municipal também passou a ter papel fundamental no apoio à mulher vítima de violência. Atualmente, a Prefeitura presta esse auxílio através da Coordenadoria Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher de Itajubá (CDDMI).

Criada em 2013, a Coordenadoria da Mulher é um órgão vinculado à Secretaria Municipal de Governo. Com sede à Rua Próspero Sanches, 161, no bairro São Vicente, a CDDMI oferece amparo a mulheres que se encontram com os direitos violados, inclusive em questões de saúde, habitação, benefícios sociais e apoio psicológico, visando o empoderamento, fortalecimento e acolhimento das mesmas de forma que se sintam suportadas para romper o ciclo de violência em que se encontram.

A equipe da CDDMI é composta por uma auxiliar de limpeza, uma agente administrativo que recebe as assistidas, uma assistente social, uma psicóloga e a Coordenadora Municipal de Defesa dos Direitos da Mulher de Itajubá, Fábia Cristina Izidoro. “A mulher que aqui chega recebe um tratamento humanizado. Algumas nos procuram de forma espontânea, mas a grande maioria é encaminhada pela Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher – DEAM”, informa a Coordenadora.

Desde que foi inaugurada, em 2014, a Coordenadoria já realizou 2.500 atendimentos. Mas, segundo Fábia, esse número poderia ser ainda maior. “Infelizmente muitas são resistentes em receber o acompanhamento que oferecemos pela dor que o assunto causa a ela ou por medo de exposição. No entanto, nosso trabalho é sempre pautado na preservação da imagem da vítima”, assegura.

É preocupante também o fato de que a pandemia tem potencializado os casos de violência, já que o isolamento social acaba fazendo com que as vítimas convivam por mais tempo com o agressor. O próprio Governo Federal sancionou uma nova lei que amplia as medidas já existentes e possibilita às mulheres vítimas de violência realizarem denúncias por meio de aplicativo.

“Notamos que durante a pandemia houve um aumento nos encaminhamentos feitos pela Delegacia da Mulher, porém muitos casos registrados por lá não são autorizados pelas denunciantes a serem repassados para a nossa Coordenadoria pelos motivos já citados: medo e dor. Estamos trabalhando em conjunto com a DEAM para mostrar a essas vítimas que as políticas públicas que o município disponibiliza são para o seu próprio fortalecimento”, diz a Coordenadora.

Se você conhece uma mulher vítima de violência, seja física ou psicológica, indique a CDDMI e o suporte que o órgão pode oferecer a ela. Para mais informações, entre em contato pelo telefone (35) 9 9924-8231.

Veja abaixo outros contatos que podem ajudá-la a romper o ciclo de violência em que se encontra:

  • 180 – Central de Atendimento à Mulher – Serviço Nacional
  • 190 – Policia Militar
  • 3622-0814 – DEAM – Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher- Dra. Karyna Tribst (Autoridade Policial)
  • 3622-1683 – NUDEM – Núcleo de Defesa da Mulher – Dra Jacqueline Carneiro
  • 9 9912-6517 – CRAS I – Centro de Referência de Assistência Social Antônio Carlos Parreira Tiengo – Coordenadora Isabela Brandão
  • 9 9907-5948 – CRAS II – Centro de Referência de Assistência Social Luzia Silva Vieira – Coordenador Luiz Gilberto (em licença) – Interina: Prícila Duarte.
  • 9 9930-8572 – Centro de Referência Especializado de Assistência Social – CREAS – Coordenadora: Maria Cícera da Silva Moreira
  • UBS – Todas

 

Os comentários estão encerrados.