Bairro Medicina recebe horta comunitária por meio de parceria entre a Prefeitura e o Presídio de Itajubá

Publicado por SECOM em: 07/06/2017


A Prefeitura de Itajubá e a Secretaria Municipal de Agricultura (Semag), em parceria com o Presídio de Itajubá, desenvolveram um projeto para a construção de hortas comunitárias em terrenos baldios do município e nas escolas municipais.

O bairro Medicina acaba de receber a sua horta comunitária, localizada em um terreno atrás do Albatroz. Dez reeducandos do Presídio trabalharam na preparação do local, na reforma do parquinho que também foi instalado no espaço e em serviços de alvenaria. A horta já foi construída na Escola Estadual Wenceslau Braz (Agrícola), na Escola Estadual Novo Tempo (Educação Especial) e na Escola Municipal Santo Agostinho.

O trabalho de preparo da terra, construção dos canteiros, cercamento e adubação é feito pelos reeducandos do Presídio, com assistência técnica da Secretaria de Agricultura, que também é responsável pelo transporte até a área das hortas e por fornecer as ferramentas e insumos utilizados. Após o término da implantação da estrutura das hortas, o plantio é feito pelos moradores dos bairros e pelos alunos das escolas. A manutenção das hortas é feita pelos reeducandos e a colheita é dividida entre a comunidade dos bairros. No caso das escolas municipais, os produtos são consumidos junto com a merenda escolar e também divididos entre os alunos e funcionários. É importante destacar que toda a produção é isenta de adubos químicos e agrotóxicos.

Para o desenvolvimento do projeto, a empresa DS Potencial (serviços de limpeza e manutenção de prédios), disponibilizou o uso de uma fazenda para o Presídio de Itajubá. A fazenda possui uma área de 13 hectares, e nela já está sendo desenvolvido um projeto sócio-educativo, chamado Fazenda Esperança.

Projeto Fazenda Esperança

O projeto Fazenda Esperança é de autoria do diretor de ressocialização do Presídio, Leandro Rodrigues Palma, em parceria com a Prefeitura e a Secretaria de Agricultura. Na Fazenda são cultivados verduras, legumes, tubérculos, frutas e há a criação de peixes de corte. - Esperamos através desse projeto cumprir nosso papel junto a sociedade reintegrando pessoas que se perderam ao longo de suas vidas, profissionalizando e direcionando cada uma delas, certos de que se cada um fizer a sua parte e se unirmos forças, deixaremos um legado de mais progresso e solidariedade para gerações futuras -, diz Leandro.

O principal objetivo do projeto é oferecer os bens produzidos de forma gratuita para a comunidade, representada por asilos, creches, escolas, abrigos, hospitais e clínicas de recuperação. Além disso, o projeto visa a implantação de hortas comunitárias nos bairros, onde através da indicação do líder comunitário, um terreno baldio público ou privado, será preparado pelos reeducandos, doadas as mudas e a comunidade também passará a cuidar e consumir da horta.

Os reeducandos do Presídio de Itajubá fazem um mutirão de limpeza e montagem de canteiros nas escolas, durante os finais de semana e feriados, pois paralelamente a esta parte social está sendo desenvolvida a parte educativa. Mudas de verduras produzidas no viveiro da Fazenda Esperança são doadas para as escolas.

Os professores são responsáveis por ensinarem aos alunos sobre o plantio, cultivo e cuidados com a horta da escola. A Fazenda Esperança também disponibiliza muda de árvores frutíferas ou nativas, que serão plantadas pelas crianças, para o reflorestamento de nascentes, margens de rio, para evitar assoreamento, entre outros.

O conceito de cidadania é transmitido para as crianças através dessas atitudes e elas são ensinadas sobre a preservação da natureza e sobre os bens comuns, que devem ser cuidados por todos os cidadãos. Com isso, a área torna-se produtiva, preservada e bem cuidada.

Área escolhida para a construção da horta fica atrás do Albatroz, no bairro Medicina

Brinquedos para as crianças também foram instalados no local

Plantio de mudas é feito pelos reeducandos do Presídio de Itajubá

Horta comunitária atenderá aos moradores do bairro Medicina