Cooperrita emite comunicado e esclarece que sedimentos no leite não causam danos à saúde

Publicado por SECOM em: 01/12/2017


A Cooperrita – Cooperativa Regional Agropecuária de Santa Rita do Sapucaí – emitiu nesta sexta-feira, 1 de dezembro, um comunicado informando aos consumidores as medidas que estão sendo adotadas quanto ao lote de leite integral fabricado pela empresa que registrou sedimentos de coloração marrom em sua composição comercializados em Itajubá.

O problema foi registrado em apenas um lote fabricado no dia 12/11/17, que já foi recolhido dos estabelecimentos comerciais de Itajubá e enviado para análise.

De acordo com a Cooperrita, amostras do leite verificaram que a presença de sedimento marrom foi devido ao processo de esterilização ter excedido o tempo necessário. A empresa garantiu que, apesar da alteração do aspecto, o leite não traz nenhum dano à saúde. “Em alguns horários de fabricação, constatamos a presença do sedimento marrom. Verificamos nos computadores de controle do equipamento de esterilização que, em dado momento, o leite, que para ser esterilizado deve ser submetido a 143º C por 4 a 6 segundos, permaneceu nessa temperatura por um tempo superior, de 7 segundos. Embora essa diferença pareça pequena, o tratamento térmico excedente é suficiente para alterar a formação das proteínas que se precipitam juntamente com o cálcio, sais minerais e parte da gordura, formando sedimento de coloração marrom. Embora altere o aspecto do leite, a presença do precipitado não causa nenhum dano à saúde, apenas alterações visuais e organolépticas”, diz um trecho do comunicado.

A Cooperrita informou também que está adotando medidas preventivas para que o problema não se repita. Também se dispôs a ressarcir e a dar mais esclarecimentos aos consumidores.

Leia o comunicado da Cooperrita na íntegra:

“Todos os produtos Cooperrita são fabricados de acordo com rigorosos critérios de qualidade e somente são liberados após criteriosa avaliação, estando a empresa sempre atenta a possíveis situações esporádicas.

Por meio dos dados fornecidos através de reclamação no Procon da cidade de Itajubá/MG, realizamos rastreamento do processo de fabricação do leite UHT Integral – lote de fabricação 2B, data de validade: 11/03/2018, para fins de verificação das causas das alterações apresentadas. Realizamos, também, análises das nossas contra-amostras.

Em alguns horários de fabricação, constatamos a presença do sedimento marrom. Verificamos nos computadores de controle do equipamento de esterilização que, em dado momento, o leite, que para ser esterilizado deve ser submetido a 143º C por 4 a 6 segundos, permaneceu nessa temperatura por um tempo superior, de 7 segundos. Embora essa diferença pareça pequena, o tratamento térmico excedente é suficiente para alterar a formação das proteínas que se precipitam juntamente com o cálcio, sais minerais e parte da gordura, formando sedimento de coloração marrom. Embora altere o aspecto do leite, a presença do precipitado não causa nenhum dano à saúde, apenas alterações visuais e organolépticas.

Ressaltamos que, embora tenhamos um rigoroso plano de amostragem e um período de quarentena, o problema não foi constatado antes da liberação porque a sedimentação demora um período considerável para ocorrer.

Diante do ocorrido, estamos adotando medidas preventivas para que o problema não se repita. Pedimos a gentileza que entrem em contato com o SAC (35 3471-1044) para que possamos realizar o ressarcimento e também para demais esclarecimentos, se necessário.

Estamos à disposição para sanar qualquer dúvida em relação aos nossos produtos.

Coorperativa Regional Agro-Pecuária de Santa Rita do Sapucaí LTDA.”