Setembro Amarelo: Profissionais da Saúde participam de abertura da campanha de prevenção do suicídio

Publicado por SECOM em: 11/09/2018


A Prefeitura de Itajubá e a Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) reuniram, no dia 6 de setembro, 200 profissionais no Teatro Municipal Christiane Riera, para a abertura da Campanha Setembro Amarelo de Prevenção ao Suicídio, em Itajubá. Durante todo o mês, todas as Unidades de Saúde desenvolverão atividades referentes ao tema voltadas para a população.

Na abertura da Campanha, as pessoas presentes assistiram a uma palestra do promotor de Justiça, Elkio Uehara, sobre o tema - A contribuição do olhar sistêmico na prevenção do suicídio -. Outro palestrante convidado foi o médico psiquiatra Dr. Jorge Tostes, que abordou o tema - Risco de suicídio: Caminhos para prevenir, identificar e cultivar a esperança.

Além das palestras, houve a participação das técnicas Fabiana Sene, psicóloga do Caps AD, e Maiara Carvalho, assistente social do CRAS, que explanaram sobre o Projeto Sentimentos, com o tema - Isolamento social na adolescência. Este projeto está sendo realizado por meio de parceria entre as secretarias de Saúde e de Desenvolvimento Social.

Durante o encontro, foram apresentadas informações sobre as ocorrências de suicídio no município de Itajubá. Segundo dados da Vigilância Epidemiológica, de janeiro a setembro de 2017, foram registradas 10 ocorrências de suicídio (9 pessoas do sexo masculino e 1 do sexo feminino) em Itajubá. Em 2018, durante o mesmo período, foram registradas três ocorrências (1 pessoa do sexo masculino e 2 do sexo feminino. Constatou-se que houve uma diminuição de ocorrência de suicídio e que a construção de uma rede de assistência segura, eficaz e humanizada para as pessoas com sofrimento mental tem sido um processo contínuo no município.

A Rede de Atenção Psicossocial (RAPS) é composta por serviços e equipamentos variados, tais como: os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS AD), Centro de Saúde Mental, Caps Bezerra de Menezes, Unidades de Saúde, Cras, Creas, Conselho tutelar, hospitais, entre outros, sendo um modelo de atenção aberto e comunitário da Política Nacional de Saúde Mental com proposta de assegurar a livre circulação de pessoas com sofrimento mental pelos serviços da comunidade e pela cidade. Em outras palavras, é uma rede de saúde mental integrada e articulada nos diferentes pontos de atenção para fins de atender a pessoas com sofrimento mental e/ou consequente do uso de substâncias psicoativas.

Confira alguns momentos da abertura da Campanha: