Prefeitura inicia projeto de proteção e recuperação de nascentes em Itajubá

BOLETIM DIÁRIO 16/02/21 – Confira os últimos dados relacionados ao coronavírus em Itajubá
fevereiro 16, 2021
Peixes são retirados do lago e doados para instituições de Itajubá nesta Quarta-feira de Cinzas
fevereiro 17, 2021

Prefeitura inicia projeto de proteção e recuperação de nascentes em Itajubá

Print Friendly, PDF & Email

A Prefeitura de Itajubá está iniciando um projeto para preservar o sistema hídrico de sua microbacia através da proteção e recuperação de nascentes com o uso de técnicas agroflorestais no município. O Prefeito Christian Gonçalves foi pessoalmente ao bairro Anhumas para acompanhar o projeto piloto e vivenciar, na prática, a recuperação de cerca de 4 nascentes. No mesmo bairro, outra área de cerca de 1 hectare já foi cercada e, em breve, será iniciado o seu manejo para o processo de recuperação.

Segundo Christian, este é só o início de uma grande iniciativa que influenciará diretamente na qualidade de vida dos itajubenses. “Sabemos dos problemas que a escassez de água pode ocasionar. Preservar essas áreas de proteção permanente é de extrema importância para o cuidado com as futuras gerações. Esse projeto vai, a longo prazo, melhorar o microclima da cidade e a qualidade do ar, além de aumentar a disponibilidade de água para Itajubá e os municípios vizinhos”, salienta o Prefeito.

Para ser beneficiado com o projeto, o interessado deverá protocolar o seu pedido diretamente na Secretaria Municipal de Agricultura, solicitando uma visita técnica para avaliar a situação da nascente em sua propriedade. Ele receberá auxílio para a elaboração do projeto técnico para recuperação da nascente usando métodos agroecológicos e agroflorestais e, dependendo do caso, poderá receber também materiais, como mourão e arame, para a execução da cerca. Em caso de dúvidas, o telefone de contato é (35) 9 9943-2478.

Entre os benefícios da proteção e recuperação de nascentes estão a diminuição da erosão; a recuperação da permeabilidade do solo, aumentando a captação de água; e a geração de lucro e novas fontes de renda para o produtor rural, já que a área pode ser usada com manejo sustentável para coleta de frutas nativas, produção de mel e, até mesmo, se tornar um atrativo turístico.

O Secretário Municipal de Agricultura, Bruno Vidal de Almeida, lembra que, nos últimos anos, a comunidade agrícola tem percebido, na prática, a alteração das dinâmicas de chuvas, assistindo também muitas nascentes e rios secarem. “Historicamente, temos problemas quanto a preservação de recursos hídricos na área rural, principalmente devido a chegada do uso extensivo do capim braquiária. É preciso lembrar que, sem água, pode haver até uma crise de alimentos, além de outros problemas diretos relacionados com a escassez deste recurso. Mas, é um cenário que pode ser revertido com práticas simples descritas no Código Florestal”, conta.

Ele reforça que a proteção de nascentes, assim como em áreas de topo de morro, áreas com inclinação maior que 45 graus e áreas de matas ciliares, são fundamentais para evitar a escassez de água no futuro e as enchentes nos bairros. “O processo de erosão de solos de áreas rurais resulta no assoreamento de ribeirões e rios, aumentando as chances de ocorrer enchentes. Cuidar dessas áreas de proteção permanente é algo de extrema importância para gerar desenvolvimento sustentável para a zona rural e para a cidade”, conclui.

O projeto de proteção e recuperação de nascentes é uma parceria entre as Secretarias de Agricultura e Meio Ambiente.

 

 

Os comentários estão encerrados.