Covid-19: Com “onda vermelha”, Prefeitura de Itajubá reforça fiscalização e orienta comerciantes

BOLETIM DIÁRIO 07/02/21 – Confira os últimos dados relacionados ao coronavírus em Itajubá
fevereiro 7, 2021
BOLETIM DIÁRIO 08/02/21 – Confira os últimos dados relacionados ao coronavírus em Itajubá
fevereiro 8, 2021

Covid-19: Com “onda vermelha”, Prefeitura de Itajubá reforça fiscalização e orienta comerciantes

Print Friendly, PDF & Email

Município entrou na fase mais restritiva do Programa Minas Consciente no último sábado, 06/02

A Prefeitura de Itajubá intensificou as ações de orientação e fiscalização ao comércio com a regressão do município para a “onda vermelha” do Programa Minas Consciente. No último final de semana, agentes do Departamento de Vigilância Sanitária, Guarda Civil Municipal e Polícia Militar percorreram a Rua Nova, Major Belo, Calçadão, bares e restaurantes e atendeu denúncias de festas irregulares.

Segundo o Diretor de Vigilância em Saúde, César Augusto de Almeida Vallin, o comércio está bem instruído a respeito das normas. “Desde que soubemos que iríamos para a onda vermelha, a Prefeitura fez um intenso trabalho de orientação e divulgação das regras. No entanto, vamos seguir com o nosso trabalho intenso de fiscalização”, frisou.

novo protocolo do Minas Consciente permite que o comércio, por exemplo, seja liberado mesmo com a cidade na “onda vermelha”, a mais restritiva. No entanto, ele precisa seguir algumas regras pensando na saúde, no distanciamento e evitando qualquer risco acentuado para a sociedade. Na “onda vermelha”, a distância linear permitida dentro dos estabelecimentos comerciais é de 3 metros, enquanto a metragem referência para cada cliente é de 10 m², ou seja, uma loja com 50 m², por exemplo, só pode permitir a entrada de 5 clientes por vez.

Em Itajubá, o comércio que não cumprir as medidas estabelecidas no Plano Minas Consciente fica sujeito às penalidades legais de multa, interdição total da atividade, suspensão e/ou cassação de alvará de localização e funcionamento, de acordo com o Decreto nº 8286/2021.

 

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.